A genealogia que abre o Evangelho de Mateus começa com a fórmula “Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão” (Mateus 1:1). Começando com Abraão, ele termina em José “marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama o Cristo” (Mateus 1:16). Embora os textos subseqüentes esclarecem que o infante Jesus foi concebido pelo poder do Espírito Santo, José aceitou total responsabilidade por Jesus, como ilustrado por seu nome formal do bebê em Mateus 1:25. Esse ato constitui reconhecimento legal de Jesus como filho de José e ajuda a explicar a proeminência de José na narrativa da infância por Mateus – comparado com Lucas, onde Maria tem um papel mais central.

A genealogia segundo Mateus é organizada em três conjuntos de quatorze gerações. Essas divisões se prolongam de Abraão a Davi, de Davi à deportação para a Babilônia e da deportação a Cristo. O primeiro destes períodos engloba cerca de 750 anos, o segundo 400 e o terceiro 600 anos, fazendo com que seja improvável que cada período de fato tenha quatorze gerações. Sendo seletivo sobre quais nomes ele incluiria na lista, Mateus pode demonstrar a importância do quatorze, o equivalente numérico para o nome David, enfatizando o tema do Evangelho de que Cristo era o filho justo de Davi.

A ênfase na descendência de Jesus ser de Abraão sugere outro tema frequentemente esquecido – que Cristo era a semente de Abraão através do qual todas as nações da Terra seriam abençoadas (Gênesis 22:18). Em adição a Maria – e ao contrário das quatro matriarcas esperadas em Gênesis (Sara, Rebeca, Raquel e Lea) – a genealogia, surpreendentemente, inclui quatro mulheres diferentes, todas com historias coloridas: Tamar (Gênesis 38), Raabe (Josué 2); Rute (Rute 2-4) e a mulher de Urias, Bate-Seba (2 Samuel 11-12). Essas mulheres agiram, e não somente receberam a ação. Além do mais, porque eram estrangeiros, suas posições como ancestrais de Jesus podem simbolizar que todos tem uma parte em Cristo.

Copyright © 2019 Jesus O Cristo. Todos os direitos reservados.
Esta página web não pertence nem é afiliada a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (algumas vezes também chamada de Igreja Mórmon ou Igreja SUD). Os pontos de vista expressos pelos usuários são de responsabilidade dos mesmos e não representam necessariamente a posição da Igreja. Para acessar os sites oficiais da Igreja visite: LDS.org ou Mormon.org.